O Compromisso dos Jovens e a Cimeira sobre Sistemas Alimentares

Discurso de Sophie Healy-Thow, da Irlanda

Olá a todos! Obrigado aos organizadores por darem aos jovens, como eu, uma voz neste evento e me deixarem expressar essa voz. Ficamos gratos por isso!

O que comemos molda-nos.

Os jovens como eu, da era digital de hoje, estão, talvez mais ligados e unidos que as gerações anteriores, mas também lidamos com muitos desafios novos; mercado laboral mais reduzido, abandono escolar, COVID-19, ansiedade pelas alterações climáticas, problemas de saúde mental, entre muitos outros. Também enfrentamos cada vez mais um fardo crescente de múltiplas formas de desnutrição – subnutrição, excesso de peso e obesidade.

No entanto, sabemos que temos poder sobre as nossas decisões e estamos, cada vez mais, exercendo a nossa capacidade de influência, especialmente em países de baixo e médio rendimento, onde representamos uma boa percentagem da população. Globalmente, sabia que os jovens de 15 aos 24 anos representam 18% da população mundial? Isso é 1,1 mil milhões de pessoas. E que mais da metade da população mundial tem menos de 30 anos.

Nos últimos anos, com a Greta Thunberg e outros como ela, o mundo testemunhou um poderoso movimento liderado por jovens para mobilizar a opinião pública sobre a urgência de agir agora, pelo bem do nosso belo planeta. Ela, juntamente com outros jovens líderes, pavimentou o caminho e nos deu ESPERANÇA de que sim, um GRANDE SIM, podemos e devemos de facto ser agentes de mudança.
É com este pano de fundo que me juntei a 14 outros jovens líderes de todo o mundo, todos nós estamos a trabalhar em estreita colaboração com a Global Alliance for Improved Nutrition (GAIN), a Food Foundation e organizações afins para entregar um compromisso na primeira Cimeira da ONU sobre Sistemas Alimentares, em setembro de 2021.

Percebemos que o que comemos influencia a nossa saúde e bem-estar, assim como a nossa vida pessoal. Isto afeta a nossa capacidade de aprender na escola ou de trabalhar em casa ou num ambiente laboral. A nossa dieta está ligada ao nosso desenvolvimento, às nossas relações, ao nosso potencial para fazer dinheiro e à nossa felicidade.

O que comemos também tem um impacto no ambiente – através da energia, terra, solo, água, e outras coisas usadas para produzir os alimentos, e para obtê-los, desde as suas origens até ao nosso lanche, refeição ou lixo. Infelizmente, os sistemas alimentares são os principais contribuintes para as emissões de gases de efeito estufa. Eles alteram como a terra e a água são usados. Eles geram poluição, assim como perdas de vida selvagem. Mas eles podem ser melhor formatados, de modo a evitar estes tipos de impactos prejudiciais.
Isto é precisamente o que nos levou a catalisar um movimento juvenil mundial chamado “Youth #Act4Food #Act4Change”. Uma campanha mundial para trazer um milhão de assinaturas à Cimeira. E não vamos parar aqui. Queremos uma década de ação para transformar os nossos sistemas alimentares através de ações sustentáveis de cada componente responsável da nossa sociedade e, claro, responsabilizar a todos, a começar por nós mesmos. O tempo está a pressionar. Não podemos mais ser indiferentes e não podemos descansar até que a mudança aconteça.

Na essência, o compromisso da “act4food” é a de galvanizar ações para vencer a fome, melhorar a saúde e curar o planeta. Queremos que jovens como nós se centrem na nossa ação pessoal como uma contribuição para a mudança do sistema e, ao mesmo tempo, responsabilizar os nossos governos e empresas – para agir com ousadia e urgência.

A #Act4Change são os meios pelos quais nós – os jovens – podemos fazer a mudança acontecer a nível nacional e comunitário. Aqueles que assumirem o Compromisso irão apresentar workshops e intercâmbios significativos sobre a importância das dietas saudáveis sustentáveis, animais e biodiversidade, e o nosso planeta. Estas atividades irão estar ligadas por meio de uma plataforma digital abrangente (redes sociais) para promover, apoiar e comunicar mensagens consistentes da campanha.

O nosso objetivo é que a plataforma inicie a transmissão em meados de abril, disponível nos 6 idiomas da ONU e mais.
Ao fazer isto, seguimos o exemplo do nosso membro de equipa de Bangladeche, um impulsionador e agitador Dipty Chowdhury. Junto com milhares de jovens campeões nacionais, eles conseguiram convencer o Governo de Bangladeche a ser o pioneiro de um plano de ação nacional com a nutrição como um pilar fundamental voltado para os adolescentes, em torno de uma campanha que o Dipty e os seus colegas tinham iniciado, chamada de campanha “Eat Well, Live Well”.

Queremos milhões de Diptys em todo lado.

Temos um imenso orgulho e alegria em trabalhar para alcançar um marco tão impressionante. Acreditamos fortemente que um milhão de assinaturas este ano e 100 milhões até 2030 pode ser feito. Estes compromissos, embora talvez pequenos individualmente, juntos oferecem um poderoso sinal para os governos e empresas atenderem à crescente procura por alimentos saudáveis, nutritivos e sustentáveis.

Como jovens, nós #Act4Food #Act4Change
Obrigado.

Seguinte